O papel do nutricionista nos procedimentos bariátricos

A obesidade é considerada uma doença crônica que diminui a qualidade de vida de alguns indivíduos e que se agrava com a associação de comorbidades, como por exemplo, o diabetes, a hipertensão, a esteatose hepática, os distúrbios do sono e doenças posturais, ortopédicas e cardiovasculares. Além disso, ocorre alterações na imagem corporal devido ao excesso de peso, fazendo com que o indivíduo se desvalorize também.

Diante da dificuldade em obter bons resultados nos tratamentos de redução de peso, a procura pelos procedimentos bariátricos vem sendo realizada com sucesso. Entretanto, existe sempre a preocupação em relação às alterações do comportamento resultado da operação. A partir daí, dá-se a importância do acompanhamento nutricional ao paciente submetido a tais procedimentos, podendo assim dividir o papel do nutricionista em três períodos distintos: pré-operatório, pós-operatório imediato e educação alimentar contínua.

O paciente obeso – devido a alimentação hiperlipídica e hiperglicídica e com baixo aporte de vitaminas e minerais – muitas vezes apresenta carências vitamínicas antes mesmo do procedimento, que devem ser corrigidas no pré-operatório, visando melhorar a recuperação e a cicatrização. Além disso, o paciente deve ser conscientizado que simples mudanças nos hábitos alimentares necessitam ser incorporadas no período pré-operatório, como mastigação correta, redução no consumo de alimentos industrializados e, principalmente, conscientização de que o procedimento realizado não representa o fim dos problemas, mas sim o começo da solução e que o emagrecimento é um processo que vai caminhar de mãos dadas com a equipe multidisciplinar.

Na conduta do pós-operatório imediato, o nutricionista observa a particularidade de cada técnica cirúrgica, somado a individualidade de cada paciente, sendo assim orientada a evolução da dieta como líquida, pastosa, branda e geral. Assim podemos citar que os pacientes apresentam comportamento compensatório inapropriado após a alimentação, distorção da imagem corporal devido a rápida perda de peso determinado por restrição alimentar imediata na evolução das dietas e intenso medo de reganho do peso perdido.

A importância do acompanhamento nutricional nos procedimentos bariátricos vai muito além da simples indicação e autorização da equipe médica. Por isso é necessário o acompanhamento pré e pós procedimento, sendo assim o possível resultado diante da melhoria da qualidade de vida ao longo de todo o processo.

Amanda Matos,

Nutricionista Comportamental e Bariátrica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *