Nutrientes importantes para recuperação e manutenção

Não é só o pré-operatório que auxilia na otimização dos resultados dos procedimentos bariátricos, o pós também é de vital importância para a recuperação do paciente e manutenção dos resultados obtidos.

Como a capacidade gástrica do paciente está reduzida, as dietas, principalmente as hipocalóricas, passarão a fazer parte da sua rotina. As mudanças dietéticas devem acontecer, independente da técnica utilizada, mas muitas vezes elas podem causar deficiências nutricionais, se não estiverem sendo acompanhadas de perto por  profissionais da nutrição. 

A progressão da dieta depende muito do procedimento aplicado, mas refeições balanceadas e realizadas diversas vezes durante o dia são essenciais para o período situado após o procedimento. Claro que essa progressão deve ser sempre acompanhada de um profissional capacitado. 

Em 2013, a nutricionista catalã Violet Moizé propôs a criação de um Guia Alimentar para os pacientes do pós-operatório dos procedimentos bariátricos. O que ela chamou de Pirâmide Bariátrica é hoje o mais usado método de acompanhamento e é quem determina o uso de suplementos alimentares, ingestão de água, chás claros e atividades físicas como formas de mudanças comportamentais. A pirâmide tem como prioridade a ingestão de proteínas ricas em ferro ou cálcio, além de frutas e vegetais ricos em vitaminas e minerais. O carboidrato também é permitido, desde que usado moderadamente, com preferência aos integrais. Bebidas alcoólicas ou gaseificadas, doces e gorduras são os alimentos menos indicados e devem ser consumidos de forma esporádica.

A seguir, listamos alguns alimentos que você, paciente em estágio pós-operatório de procedimento bariátrico deve colocar em sua dieta. Confira: 

  1. Proteína: carnes em geral, ovos, leite, iogurtes, queijos, leguminosas como feijões, lentilha, ervilha, soja e derivados;
  2. Ferro: carnes em geral, miúdos, gema de ovo, leguminosas como feijão, lentilha, ervilha, vegetais de cor verde escura como beterraba, moranga, pimentão, ameixa seca, cereais integrais e alimentos fortificados com ferro;
  3. Ácido fólico: fígado, peixes, feijão branco, soja, derivados, brócolis, couve, espinafre, couve-flor, repolho, beterraba crua, aspargos, ovo, laranja, melão, maçã e pães integrais;
  4. Vitamina C: moranga, beterraba, brócolis, couve-flor, ervilha, repolho, tomate, alho, pimentão, rabanete, salsa, abacaxi, acerola, tangerina, caju, goiaba, kiwi, laranja, limão, maracujá, morango e uva;
  5. Vitamina B12: carnes em geral, fígado, atum, leite, iogurte, queijo;
  6. Vitamina B1 (Tiamina) – Carnes vermelhas, fígado, atum, feijão, ervilha, cereais integrais, leite, gema de ovo, abobrinha, berinjela, batata doce, beterraba, cenoura, couve-flor, pimentão, goiaba, laranja, maçã, morango, pêssego, tomate e uva;
  7. Cálcio: iogurte, leite, queijo, leite de soja enriquecido com cálcio, queijo tofu, couve-flor, vegetais folhosos verdes-escuros, salmão, laranja, feijão branco, abóbora abobrinha, palmito, morango, rabanete e ervilha;
  8. Vitamina D: fígado, leite, gema de ovo, arenque, sardinha, atum e salmão;
  9. Vitamina A: fígado, leite, ovos, vegetais folhosos verde-escuros, legumes e frutas alaranjadas e amarelos (cenoura, laranja, abóbora, tomate, pêssego, maracujá, caqui, goiaba, caju), batata doce e abobrinha;
  10. Vitamina E: óleos vegetais (girassol, canola, milho, soja), azeite de oliva, gema de ovo, aspargos, amêndoas, nozes e castanhas.

Imediatamente após o procedimento, o nutricionista que irá acompanhar o paciente irá observar todos os seus hábitos alimentares e os pormenores do procedimento escolhido por ele. Haverá então, uma reeducação alimentar para estimular o consumo dos alimentos citados acima. O paciente muitas vezes nunca aplicou uma alimentação saudável e por isso deve ser acompanhado a cada passo do pós-operatório. A reeducação não deve focar apenas nas calorias consumidas, mas mais do que isso, no processo de alimentação que envolve prazer e nutrição. 

Fonte: http://www.hcpa.ufgs.br/downloads/comunicacao/volume_19_cirurgia_bariatrica.pdf

https://www.sbcbm.org.br/nutricao/ 

  1. Consenso da Sociedade brasileira de Cirurgia bariátrica e Metabólica 2005.
  2. AACE/TOS/ASMBS. Bariatric Surgery Guidelines/Surgery for Obesity and Related Diseases 2008;4:S109-S184.
  3. Yager SF. Role of the dietitian in a multidisciplinary bariatric program. Bariatric Nursing and Surgical ln Patient Care 2008; 3(2):107-16
  4. Braga M, Gianotti L, Vignali A, Carlo VD. Preoperative oral arginine and n-3 fatty acid supplementation improves the immunometabolic host response and outcome after colorectal resection for cancer. Surgery. 2002; 132(5):805-814.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *