Acompanhamento Nutricional individualizado pré e pós procedimentos bariátricos

A obesidade hoje, além de uma alteração da composição corporal, é considerada uma doença crônica. O número de pessoas atingidas pelo acúmulo excessivo de massa de gordura é tão grande, que a doença já passou a ser tratada como epidemia global. 

Pessoas que sofrem com a obesidade crônica acabam por desenvolver outros males associados à ela, como a hipertensão, o diabetes, a esteatose hepática, os distúrbios do sono e da respiração, além de doenças posturais, ortopédicas e cardiovasculares. 

Existem, no entanto, alguns procedimentos que podem mudar a situação das pessoas que sofrem com a obesidade, como os tratamentos bariátricos, por exemplo. Esses tipos de procedimentos são eficazes no controle da epidemia global, pois são indicados para pacientes que não obtiveram êxito com terapias mais “convencionais”, como a medicamentosa ou mesmo a mudança de vida (aquela que se dá com a transição do sedentarismo para a atividade física constante). Dois destes procedimentos serão tratados aqui neste texto para que você consiga entender o avanço das técnicas utilizadas, após a evolução gradativa da medicina. São eles: o Balão Intragástrico e a Gastroplastia Endoscópica. 

Podemos definir ambos como procedimentos não cirúrgicos, menos invasivos e que servem como terapias auxiliares no emagrecimento. Os tratamentos ainda podem controlar e prevenir os males da obesidade. 

A Gastroplastia Endoscópica

O procedimento visa a diminuição do estômago em 60% do seu tamanho original, causando a sensação de saciedade precoce e prolongada. A diminuição desse órgão é semelhante à realizada na cirurgia de Sleeve Gastroplasty, mas, ao contrário deste procedimento, a Gastroplastia Endoscópica é feita sem incisões ou cortes externos. 

Todo o procedimento é feito com o paciente anestesiado e dura, em média, 90 minutos. O médico especialista fará todo o procedimento de forma endoscópica e irá suturar o estômago internamente para que ele mude sua fisiologia, ficando em formato tubular. A sensação de saciedade resultante dessa mudança fisiológica irá facilitar o caminho para o emagrecimento. 

O balão intragástrico 

O segundo procedimento visa a inserção de uma prótese de silicone no estômago, inserida também por via endoscópica e que é preenchida, posteriormente, por uma solução de soro fisiológico e tintura de azul de metileno. O balão é responsável por prolongar (já que retarda o esvaziamento gástrico) e acelerar a sensação de saciedade em toda refeição. 

O paciente que opta pela colocação do balão deve estar ciente que sua permanência no estômago deve durar de 6 a 12 meses, dependendo de sua tolerância ou do modelo da prótese. Também há a possibilidade da troca do balão. 

O procedimento para colocar o balão dura apenas 30 minutos e é feito em ambiente ambulatorial, com o paciente sedado por um anestesiologista. O mesmo vale para a retirada do objeto intragástrico. 

Os métodos aqui apresentados são menos invasivos e excelentes aliados à sua reeducação alimentar. Tanto suas aplicações, quanto suas interrupções são de fácil condução. A taxa de mortalidade e/ou reações adversas que tais procedimentos apresentam são bem baixas, em comparação aos demais procedimentos bariátricos. 

Sobre o acompanhamento

Todo paciente que procura pelos procedimentos da Gastroplastia Endoscópica ou do Balão Intragástrico, passa por consultas e avaliações para um melhor direcionamento nas estratégias rumo à perda de peso. Entre as avaliações, podemos destacar o acompanhamento psicológico e nutricional. Tanto as consultas, quanto os acompanhamentos multidisciplinares, visam a perda e a manutenção do peso do paciente, já que os procedimentos são auxiliares para uma real mudança de vida. 

O nutricionista é quem ditará as regras da alimentação do paciente no pré e pós-operatório de ambos os procedimentos. Individualmente, cada paciente será acompanhado de perto pelo profissional, que por sua vez, elaborará um planejamento para mapear sua evolução, da dieta líquida à sólida, passando pela pastosa, até concluir a transição. 

Com o nutricionista acompanhando o paciente, ele irá aprender a comer de forma proveitosa, mesmo em quantidades menores, aproveitando cada nutriente de cada alimento. 

Referências: 

https://healthme.com.br/especialidades/gastroplastia-endoscopica/

https://www.sbcbm.org.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *